Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Extensão rural: Produtores aumentam renda cultivando maracujá em Juru

Notícias

Extensão rural: Produtores aumentam renda cultivando maracujá em Juru

A busca por uma nova alternativa para melhorar a renda familiar, aproveitando as potencialidades agrícolas de suas propriedades, levou 60 agricultores familiares do município de Juru, que fica localizado próximo à cidade de Princesa Isabel, no Sertão, a cultivar maracujá em 50 hectares e uma produtividade considerada razoável, mediante as condições climáticas. O maracujá será vendido no próprio município de Juru, nas feiras livres e nas fábricas de polpa de frutas da região.

Orientados pela extensão rural promovida pela Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), antiga Emater, agora partem para a organização, ampliando a comercialização. Além de Juru, em outros municípios da região, agricultores estão aderindo ao cultivo de maracujá, conscientes da importância desta cultura e da possibilidade de conquista de mercado.

No ano passado, uma fábrica de polpa comprou a produção de maracujá com pelo menos 50 plantadores sendo acompanhados pelos extensionistas rurais.

b53766fd-d1dc-4f82-b209-658c2ce781f9.jpegNum Dia de Campo realizado no município, foram apresentadas as potencialidades desta cultura na região, as vantagens de seu cultivo e daí em diante, levando mais agricultores a se interessaram pelo seu cultivo. “O plantio de maracujá cresceu ainda mais depois deste evento, não somente em Juru, mas em outros municípios da região”, lembrou o extensionista rural Josemilton Gomes de Matos, gerente local da Empaer. O curso ministrado pelo professor Ely Martins ajudou muito a despertar o interesse pelo cultivo de maracujá.

Para o fortalecimento ainda mais desta atividade, a Gerência Regional da Empaer em Princesa Isabel, está programando a realização de novos cursos sobre manejo do cultivo de maracujá, inclusive para melhor aproveitamento da produção. “Ainda temos muitos produtores carentes de tecnologias mais adequadas na condução da cultura”, comentou o gerente regional Hermes Maia.

b53766fd-d1dc-4f82-b209-658c2ce781f9.jpegO produtor Fabiano Lourenço da Silva, do sítio Caatingueira, trabalha com uma área de 1 hectare irrigado por gotejamento em maracujá amarelo, com aproximadamente 1250 plantas, já esperando colher, pela previsão, pelo menos 12 toneladas. A família também trabalha com os produtos tradicionais como milho e feijão, algumas hortaliças e fruteiras.

No sítio Várzea, o produtor Lenivaldo Lourenço trabalha numa área de 0,5 hectares, em regime de parceria com o proprietário Fernando Marcolino Ramos.

Voltar para o topo
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional