Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Vigilante deixa Brasília para trabalhar na agricultura em Olho D’Água

Notícias

Vigilante deixa Brasília para trabalhar na agricultura em Olho D’Água

Depois de residir na cidade de Brasília, distrito federal, durante anos, para onde tinha se transferido e trabalhava como vigilante, após ter nascido o primeiro filho e sem adaptação à vida distante do campo, Pedro Ferreira Primo e sua esposa Eleonai Ramos da Silva decidiram retornou para o Sítio Serrote/Mandacaru, município de Olho D’água, no Sertão, e iniciar atividades agrícolas.

Olho Dágua 17-08.jpgEle chegou em 2004, passando a trabalhar na terra que pertence aos seus pais, recebendo assistência técnica do Governo do Estado, por meio da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Sedap, Pedro Ferreira construiu projetos que melhorou a qualidade de vida, sendo destaque na região com o trabalho excutado no campo.

Pedro recordou que percebendo não ser a cidade gande, com todo a sua movimentação, lugar para criar os filhos, então decidiu voltar para o campo e hoje, com Olho Dágua3 17-08.jpgpersistência e seguindo a orientação dos extensionistas rurais, conseguiu montar uma pequena estrutura de trabalho que garante o sustento de todos.

A família é auxiliada pelos técnicos da Empaer, já teve acesso ao Projeto Dom Helder, e tempos depois conseguiu recursos juntos aos bancos para novos projeto. Também trabalha com algodão orgânico. Tem um pequeno rebanho caprinos, criar galinhas de capoeira e cultiva hortaliças para o consumo da familia, e o excedente desta produção comercializa na comunidade.

Todo o trabalho de assistência técnica é feito pelos extenionistas Inaldo Ferreira e Maria Gorete Laurino, com acompanhamento da gerente regional de Itaporanga, Romeria Pereira.

Voltar para o topo
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional